segunda-feira, 9 de junho de 2008

08-06-08 Fafião - Porto de Lage - Fafião



Dia 08-06-08, 7h50 e pela primeira vez já estavam na S. José a minha espera. Desta vez não fui a primeira a chegar ao local. O “Gato” e o “Coyote”, 2 novos elementos de Guimarães já estavam a minha espera. Embora já fossem “habitués” do Gerês era a primeira vez que caminhávamos juntos.

Iniciamos em Fafião cerca das 9h30, andamos um pouco a deriva até encontrar o caminho certo mas só cerca de 5 minutos, o tempo de encontrar um residente que nos indicou de imediato a direcção.
Ao iniciarmos monte acima, o prazer de estar com a montanha no Gerês, ia apoderando-se de mim. Uma semana é muito tempo, 2 semanas ou 3 é uma eternidade.
Subimos até a Roca das Cabreiras sempre no estradão, depois foi só seguir as tímidas mariolas que ali estavam no nosso lado esquerdo. Fomos sempre ao longo do Rio Fafião quase sempre na mesma altitude, muito fácil de se fazer.
A beleza daquele rio e daquele vale é grandiosa, magnifica, esplêndida mesmo. O Gato quase sempre solitário, ia a frente abrindo caminho., o Coyote parecia apreciar aquela paisagem tanto quanto eu e a Pérola Negra. Não precisávamos de palavras para expressar o que sentíamos. A felicidade e o prazer estavam estampados nos nossos rostos. Conforme íamos avançando até ao Porto de Lage ia me deixando seduzir pela montanha por vezes se escondendo e espreitando por entre as muitas corgas que ali há. Muito bom poder render me ao seu charme, até porque logo no inicio da caminhada, o nosso reencontro foi abençoado por S. Pedro. Dez minutos foram o suficiente para sentir a roupa molhada no meu corpo… Muito agradável…. Chegando a Porto de Lage comemos, tomamos um cafezito e um cheirinho desta vez feito por mim (pois é Zé já aprendi) … E descansamos um pouco… Havia um carvalhal na Corga do Salgueiro a chamar por mim… Um dia destes tenho de ir lá…
O manto verde no qual me deitei estava mito agradável, as nuvens dançavam no céu, tanta era a euforia do nosso reencontro. Ouvi as tuas declarações, silenciosas, deliciosas, tão tímidas quanto as minhas… mas tão prazerosas. Senti o teu sopro no meu rosto como se de o mais belo beijo se trata-se e sobre o meu corpo senti as carícias da brisa…Plenitude… Agradeci te pelo prazer que me proporcionas de todas as vezes que te visito, de todas as vezes que subo até ti. A ideia de te deixar torna-se cada vez mais dolorosa… Que vontade enorme eu tenho de ficar e nunca mais partir… Mas tínhamos de regressar… parte do regresso foi feito pelo leito do rio Fafião, depois foi só subir até encontrar o trilho que nos levou de regresso ao carro.
Foi só um dia perfeito… não foi sangria… foi Ginjinha… não foi no parque… foi no Gerês… Fico feliz por o ter passado contigo…

6 comentários:

Jorge Nogueira disse...

Olá,

Para mim uns dos melhores trilhos do Gerês!

Boas fotos!
Abraço

White Angel disse...

Ola Jorge,

E é mesmo, lindissimo deu para sonhar e despertar a vontade de la voltar novamente.

Obrigada,
Abraço Montanheiro

medronho disse...

..."as nuvens dançavam no céu, tanta era a euforia do nosso reencontro".

E não digo mais nada! :)))


bjs

Jorge Nogueira disse...

Olá,
Uma marcha que costumo fazer que para mim é também das mais belas, é sair de Fafião, rumo à ponte da Pigarreira e subir o espeto em direcção a pousada depois a Pradolã passar junto a Bicos Altos, depois seguir para o Curral da Amarela e ir à sesta da amarela, descer para o curral de vidoeirinho e regressar a Fafião pela ponte da matança! São +/- 7 horas... mas deslumbrantes, sei que vais gostar.
Boas caminhadas!!!
Abraço

White Angel disse...

Vou ter em conta esse trajecto Jorge, e numa proxima vou fazer. Talvez ja muito tarde para ser este Domingo. Mas Breve estarei la.

Beijinho
Saudações Montanheiras

White Angel disse...

Hallo Chefe!!!

POis é... como sempre o nosso reencontro é sempre muito intenso, como provavelmente ja sentiste...

A minha paixão pelo Gerês é assim mesmo. E pelos vistos não sou a unica a sentir desta forma.

A UPB :))))

Saudações montanheiras
Bjs