quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

22-01-09 Aconchego


Procurarei no olhar de um amigo, o que houver de mais belo, de mais doce e de mais terno... também...

"Jacques Brel"

domingo, 18 de janeiro de 2009

18-01-09 Leonte - Prados da Messe - Sabrosa - Leonte

Dia 18-01-09, desta vez S.Pedro não nos poupou em nada. Não foi só bênção aquilo parecia mais um baptizado… e de facto tivemos tantos caloiros como veteranos…
Não houve atrasos toda a gente chegou a horas e claro também começamos a horas. Os colegas de Amarante, a Liberdade e o Leopardo nem a chuva os assustou. Vieram debaixo de chuva e debaixo de chuva continuaram. Chegando a Portela de Leonte,o Leão e o Leonte também se juntaram a nos…Que maravilha eram 18 caminheiros/montanheiros cheios de vontade de calcorrear aquela serra. Em menos de dois tempos já toda a gente se conhecia até a Astrid uma alemã já se sentia peixe dentro de água. Fomos subindo até ao Mouro onde voltamos a dar o nosso contributo a nossa querida mariola UPB, algumas fotos e mais uma vez no meu silêncio saudei-a, acarinhei-a do olhar fiz lhe juras de voltar sempre que pudesse.
Continuamos a nossa ascensão pela Freza, ai tentei explicar o que os nossos olhos não viam… O Vale Teixeira lindíssimo só que desta vez estava coberto duma neblina tão densa que nada se via. Subimos a Chã da Fonte, passamos Lomba de Pau e já quase na descida para Conho encontramos mais um solitário com seu cão… e dizem que eu sou louca em caminhar só???? Afinal não sou a única… Juntou se ao grupo e continuamos todos juntos até ao Prado do Conho. Ai paramos para o almoço, que bem que soube o aconchego daquela cabaninha. A Meruje aproveitou para se aconchegar um pouco e secar. Acho que nesta caminhada o espírito montanheiro dela revelou-se, é que na primeira meia hora da caminhada já estava toda molhada e mesmo assim continuou sempre com o sorriso, sempre com boa disposição. Depois de reconfortar o estômago e aquecer a alma continuamos até aos Prados da Messe, os mais velozes de vez em quando lá paravam para esperar pelos menos velozes, afinal éramos um grupo e o lema é “todos por um e um por todos”. Nesta caminhada senti a união de um grupo, senti a camaradagem senti o nobre sentimento da amizade crescer, senti que na montanha todos temos o nosso grau de importância, ninguém é mais que ninguém, senti que quando a harmonia reina tudo flui na perfeição, e foi assim a caminhada toda…
Chegando aos prados da Messe não houve muito tempo para parar o frio e a chuva não nos largavam, e nada melhor para aquecer o corpo do que caminhar. Subimos Lombo de Burro e fomos em direcção a Costa Sabrosa. Descida teimosa, teima e porque teima em não acabar. Mas lá acabou e depois o regresso 3,5 kms de alcatrão, mas nem isso abalou a nossa boa disposição… imaginem até o Bicho do Mato abriu os braços e deixou-se fotografar!!!! A nossa querida Meruje de vez em quando lá ia dando o ar de sua graça e toda a gente parava só para a ver passar…Chegando aos carros, o tempo de trocar a roupa e rumo ao Pimpao… a sopinha, as papas, e o vinho aqueceram o corpo a alma enfim tudo. Convívio 5 estrelas, gente bem-disposta, de coração aberto, de alma leve, gente que partilha da mesma paixão.
Quero e faço questão de agradecer a Tília ao Coura pela amizade e carinho nunca é demais, ao Bicho-do-Mato e a Girafa pela presença assídua ou sempre que podem. Quero agradecer ao Louro pelo companheirismo e sabedoria que ele transmite, ao Leão e ao Leonte por satisfazerem o meu pedido, em caminharem mais vezes comigo… (mas não acaba aqui quero mais). Quero agradecer e tirar o meu chapéu a Meruje, é que já vi pessoas a desistirem por menos e sim claro que te digo quando lá voltar e se depender de mim levo te a ver mais bonito ainda… Quero agradecer a simpatia, alegria e boa áurea da Jasmim, da Flamingo e da Messe, quero agradecer a força de vontade e persistência da Liberdade e do Leopardo. Quero agradecer a presença discreta da Alvorada, o sorriso franco da Aili (expressão que abra todas as portas) e por fim quero agradecer a presença e confiança que o Carneiro depositou em mim, afinal tudo correu as mil maravilha e a paciência que o Makandangà teve para chegar ao final e bom, não foi uma feijoada mas foi uma bela de uma omeleta…

Clicar na foto para abrir o album

sábado, 17 de janeiro de 2009

17-01-09 Prado do Conho

Quem se quere bem e partilha da mesma paixão, sempre se encontra... e nos encontramo-nos :)todos!!!


Clicar na Foto para ver o Album

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

11-01-09 - N.Sra. da Peneda - Aguas Santas - Eguas - N.Sra da Peneda

O dia estava radiante parece que S. Pedro nos deu ouvidos…mas o gelo na estrada atrasou-nos um pouquinho e iniciamos a nossa caminhada já um pouco tarde demais.
Mas a vontade de caminhar era tanta que começamos logo de uma forma desenfreada que por breves momentos perdemos o trilho… O tempo de o encontrar e iniciarmos a nossa verdadeira ascensão sem stress. Calcorreamos durante cerce de 30 minutos um antigo caminho de pé posto ainda empedrado que os peregrinos espanhóis utilizavam para fazerem a travessia de Espanha até a Nossa Sra. Da Peneda. Subimos até ao Salgueiral onde abandonamos o trilhos e fomos até a um dos nossos objectivos principais… Alto de Aguas Santas, dali a paisagem é fantástica… A N.Sra. da Peneda lá no fundo, tímida e frágil fazia-se guardar pela imponente fraga da Meadinha e as fragas de Carmona. Cada um a sua maneira foi sentindo e apreciando as magnificas paisagens… eu aproveitei para saudar o Gerês, para gravar na minha memoria cada pico, cada cume. Fui sentindo o desafio pertinente de cada alto chamando por mim e aguçando a minha vontade de ir lá. Aproveitamos para mais umas fotos inclusive a do grupo.
Descemos a um prado mesmo no sopé do alto de Aguas Santas e descansamos para saborear o nosso lanche. Os caloiros não trouxeram bolo… mas não faltou o vinho tinto maduro… o vinho “generoso” e o coelhinho estufado da nossa caloira Lagartixa. O cafezinho da Pérola Negra também aqueceu a alma de quem quis provar… O Peregrino esse não parava, queria ir sempre alem queria ver mais a cede da serra era tanta que não conseguia parar… houve quem achasse que o nick mais adequado seria Bicho Carpinteiro…mas este senhor andou 6 semanas na estrada da fronteira francesa até Santiago de Compostela para merecer o nick de Peregrino.
Depois de repor energia metemos pernas ao caminho já muito tarde…descemos a Corga de Concelho e fomos na direcção de Carvalho… a descida não foi fácil mas toda a gente passou.
Chegando a Carvalho e já com pouco tempo de luz solar a nossa frente, o grupo resolveu dividir-se… uns foram até ao Alto de Éguas e o outro resolveu descer. … Mais uma vez no Carvalho descobri um trilho que esta sinalizado nas cartas antigas mas não aparece nas novas… estava lá bem limpinho a nossa espera, até parecia que alguém o tinha limpo de véspera.
Chegamos rápido cá em baixo, descansamos enquanto esperávamos pelos nossos companheiros que não tardaram a chegar. Uns resolveram regressar a casa para evitar a noite os outros foram presenteados com um feijoada a Transmontana oferecida pela Tília e o Coura… Convívio maravilhoso… Não chegamos A Fraga das Pastorinhas, era esse o nosso objectivo, mas eu volto e a terceira é de vez.
Queria agradecer a Tília e ao Coura pela simpatia, alegria e amizade, quero agradecer ao Coração de Águia, a Pérola Negra, ao Falcão e a Lagartixa pela confiança que depositam em mim sem nunca questionarem ou duvidarem se quer do meu sentido de orientação na serra. Quero agradecer a Aranha e ao Pedrada pela presença e força de vontade (vieram do Porto),
Quero agradecer ao Rocas já é um “habitué” das minhas caminhadas, pela amizade e companheirismo, ao Peregrino meu eterno pupilo, quero agradecer ao Potro pela amizade e o carinho com que ele eterniza cada paisagem (espero caminhar mais vezes nessa serra contigo).
Quero agradecer aos nossos mais discretos companheiros o Leão e o JP que quase não os ouvi falar mas revelaram-se uma companhia muito agradável… quero caminhar mais vezes convosco

Clicar na foto para ver o album