segunda-feira, 18 de junho de 2012

07 a 10-06-12 Picos Da Europa com o Vamos Ali - primeiro e segundo dia!


Fuente Dé - El Cable - Aliva - Llomba del Touro - Vegas del Toro de Sotres - Sotre - Pandébano - Refugio da Terenosa - Urriellu



Tudo começou com um livro jogado na mesa de minha cozinha. Livro que o Libelinha me aconselhou a ler… Nunca desista dos seus sonhos. 
“Uma mente saudável deveria ser uma fábrica de Sonhos” 
de Augusto Cury. 




Ainda não comecei a ler mas o titulo fazia todo o sentido de tudo o que me esta a acontecer… Durante a viagem até aos Picos fui pensando algumas vezes nessa mente saudável que de certeza eu devia ter, afinal sempre fui uma sonhadora romântica. Esta atividade tinha um gostinho especial, sentia a realização de mais um sonho… Um grande sonho…
Partimos na quinta-feira de madrugada em direção a Fuente Dé. Chegando lá, o Tempestade e o Barba de Milho já esperavam por nós. Beijos e abraços e já estávamos todos reunidos os 10 magníficos desta atividade, o Libelinha, o Nevão, o Aguia Real, o Galga Montanhas, O Rocas, a Liberdade, a Soneca, o Tempestade, o Barba de milho e eu a White Angel.
O Nevão, a Soneca, a Liberdade e eu íamos fazer um percurso diferentes dos nossos companheiros, nos primeiros dois dias, mas no final do segundo já nos encontrávamos no mesmo refúgio, e assim foi nossos colegas foram em direção ao Refugio do Jermoso e nós em direção ao Refugio de Aliva. Confesso que ir para os Picos da Europa e ter de me separar do Libelinha quando sonhei uma vida inteira com este momento, não foi fácil. Mas eu não podia, não tenho esse direito de o impedir de voar tão alto quanto ele quer. Eu tinha de guiar um grupo e ele aspirava ver muito mais e sentir emoções bem mais fascinantes do que o percurso que eu ia fazer… E foi com um sentimento de encanto e alegria por saber que ele ia delirar com as paisagens deslumbrantes que ele ia encontrar pelo caminho, à mistura com um aperto no coração por não partilhar essas mesmas emoções ao lado dele. Meu consolo foi que mesmo naquelas montanhas eu senti a aprovação da mãe natureza, e eu sabia que era uma questão de tempo. Os Picos  também nos reservava dois dias e meio juntos.
Subimos até ao El Cable pelo teleférico enquanto os nossos companheiros seguiram a pé até ao Jermoso. Fomos caminhando lentamente sem grandes pressas, tínhamos muito tempo até ao refúgio de Aliva, onde descansamos, almoçamos e continuamos caminho… Descemos La Lomba del Touro rodeados de paisagens paradisíacas e fomos caminhando ao longo do vale do Rio Duje até Las Vegas del Toro de Sotre onde paramos para descansar e até houve quem conseguisses fazer uma soneca enquanto outros retemperavam forças… Pensava muitas vezes no Libelinha, como ele estava, o que ele estaria a sentir, provavelmente estaria feliz e radiante perante aquelas montanhas. Só podia estar, eu sentia que ele estava bem, quase que conseguia sentir o delírio dele, quase que conseguia ouvir suas gargalhadas de felicidades e louvores a vida que lhe estava a correr nas veias. Embora não estivesse junto a ele, sabia, sentia que ele estava tão feliz quanto eu… Rapidamente, chegamos a Invernal do Texu onde começamos a parte mais penosa para mim, subir pela estrada até Sotres com umas botas semi-rígidas, quase que me davam cabo dos calcanhares. Instalamo-nos no albergue de Peña Castil, tomamos um bom banho, comemos e bebemos um bom vinho, e fomos nos deitar com o corpo maçado e cansado mas a alma mais leve do que nunca… Antes de adormecer, ainda fiz um ultimo pedido, e pedi a minha alma que durante meu sono voasse até meu amor e me deixasse dormir ao lado dele no seio de nossas montanhas.
No dia seguinte acordei fresquinha, com uma vontade louca de chegar ao Urriello e ir ao encontro de meus colegas, o Águia Real que estava a guiar a atividade tinha-me dito por onde iriam chegar, podendo assim ir ao encontro deles. Levantamo-nos todos, preparamos nossas coisas, tomamos um pequeno-almoço fantástico e la fomos nós até a Invernal do Texu para depois seguir até Pandébano. Fizemos a subida pelo trilho pedestre evitando assim o estradão, por entre uma pequena floresta lindíssima. Em Pandébano reunimos todos e fomos até ao refúgio de la Terenosa onde o Nevão se deliciou com um bom café e nós ficamos a apreciar a paisagem saboreando uma peça de fruta ou mesmo um chocolate. Continuamos a nossa ascensão até ao Urriellu cada um a seu ritmo e apreciando as paisagens conforme elas nos iam surgindo… Pensei e recordei muitas vezes, as vezes que por ali passei umas vezes só, outras vezes acompanhada. Recordei aquela minha primeira vez em que parte do caminho, fiz sozinha porque o ritmo de meus companheiros da altura era bem mais rápido do que o meu… Engraçado, grande parte desses meus companheiros de há 4 anos atrás são os mesmos que se encontravam ali. Tanta coisa que eu queria viver e partilhar com o Libelinha e quanto mais eu pensava mais rápido queria la chegar, até parece que ganhava força nas pernas para chegar mais rápido. Já quase a chegar ao Urriellu minhas colegas já não aguentavam mais e queriam comer. Paramos bastante tempo para comer e voltamos a meter pernas ao caminho. Como eu queria chegar ao Urriellu!!!
E finalmente, chegamos ao Urriellu, ainda era muito cedo. Fiquei muito feliz quando soube que um grupo de montanheiros guiados pelo Medronho, também estava lá. O Medronho também fazia parte desse grupo de montanheiros com quem subi pela primeira vez ao Urriellu. Não descalcei as botas, estava a fazer horas para poder ir até ao Diente de Urriellu mas o nevoeiro apoderou-se daquela zona e envolveu aquele sítio num manto branco que não conseguíamos ver um palmo a nossa frente. Impossível sair do refúgio, demasiado arriscado mas eu queria tanto ir esperar por eles… Sentia-me confiante, embora saiba que o nevoeiro é o inimigo numero um do montanheiro, tinha um “feeling” que tudo estava a correr bem e que mais minuto, menos minuto iriam entrar pela porta dentre, e foi quase assim. A Soneca que tinha ida a recepção e os viu, entrou na sale das refeições e disse-me que eles tinham chegado. Fui logo ao encontro deles, abracei longamente o Libelinha, tentei naquele abraço absorver todas as energias que ele trazia de lá de cima e poder dessa forma partilhar o que não pudemos partilhar pessoalmente… Recordo tão bem o brilho nos olhos dele… Em poucos segundos apercebi-me que ele vinha maravilhado de la de cima, vinha encantado quase que enfeitiçado pela montanha e gostei… Gostei de ver a felicidade estampada no rosto dele… Gostei de ver o seu sorriso, gostei de ver o quanto ele estava a vibrar com tantas emoções… Fiquei mesmo muito feliz por ter finalmente encontrado alguém como ele e soube naquele momento que eu teria de o apoiar e incentivar a seguir sempre seus sonhos e seu gosto pela vida e pela aventura… Soube naquele momento que voltaria a separar-me dele por mais doloroso que fosse para depois voltar a ler nos seus olhos, os versos mais belos sobre a felicidade, o encanto… e o êxtase que se sente perante o deslumbramento da montanha.



Matamos saudades uns dos outros, relatamos as peripécias de uns e dos outros. Como correram as coisas etc etc etc… Jantamos e fomos nos recolher. Adormeci nos braços do Libelinha como tantas vezes havia sonhado, num refúgio, no meio de estranhos e conhecidos, todos movidos pela mesma paixão e desta vez sentia-me duplamente protegida, duplamente amada, duplamente abençoada…

6 comentários:

@guia-real disse...

Estou apaixonado!

White Angel disse...

Aguia...

èh èh éh... eu também!!! ;)

Fábio e Elisabete disse...

Ola Dorita

Muitos parabens pelo teu magnifico trabalho. É um prazer ver e seguir de perto este teu cantinho maravilhoso.

Um grande beijo
Mountain4ever

White Angel disse...

Olá Fábio!!!

Obrigada pelo carinho...

Beijinhos para os dois ;)

Lírio disse...

E então, se me dás licença termino o teu texto dizendo:
...duplamente feliz!!!E que felicidade contagiante essa!!
Ó rapariga já alguns dias que esperava notícias tuas, não podiam ser melhores!!!
Lindo!E que grupo porreiro :)

Beijinhos!!

White Angel disse...

Minha Doce Flôr,

O terceiro e quarto dia sai logo a noite..;)

Foram dias sublimes, sem duvida alguma!

Beijinhos :*